Desde meados de 2012 divulgo em minha conta no Facebook, e mais recentemente aqui no Misturinhas da Ka, uma lista semestral de vinhos que custam até R$ 55. Nunca mudei esse valor, e certamente a lista tem perdido um pouco de qualidade. Isso porque os preços variam, e normalmente para cima. Em 2012 era fácil entrar numa boa loja, ter ampla gama de escolha e sair com bons vinhos nessa faixa de preço. Hoje a tarefa é mais árdua: parte das listas mais atuais é composta por preços promocionais, saldos de verão, valores cobrados de sócios de clubes etc.

Vamos entender um pouco porque isso ocorre: em maio de 2012 o dólar estava pouco abaixo dos R$ 2,00, hoje está na casa dos R$ 4,00. Ou seja: tivemos um aumento de 100% no valor da moeda americana que tende a orientar as importações daquilo que tomamos – e bebemos muito vinho de outros países, como discutimos na semana passada. A inflação do período, por sua vez, ficou abaixo dos 50 pontos percentuais e a variação do salário mínimo um pouco acima disso. O que teria ocorrido com os preços dos vinhos? Vou apresentar abaixo a lista dos 10 rótulos selecionados na primeira lista que divulguei em maio de 2012, e os preços pagos à ocasião da compra (poucos meses ou semanas antes do consumo):

 

Vinho Tipo País Valor 2012 Valor 2018 Variação
Escorihuela Gascon  branco Argentina  R$ 45 R$ 115 156%
Saint Felicien  tinto Argentina  R$ 50 R$ 117 134%
Trumpeter  tinto Argentina  R$ 50 R$ 88 76%
Armador  tinto Chile  R$ 40 R$ 81 103%
Casa Valduga Arte Brut  espum. Brasil  R$ 30 R$ 55 83%
Altano  tinto Portugal  R$ 45 R$ 98 117%
Nederburg WM reserve  tinto Á. do Sul  R$ 45 R$ 80 78%
Ciranda  tinto Portugal  R$ 40 n.enc.  
Lavradores de Feitoria  branco Portugal  R$ 45 n.enc.  
Wrongo Dongo  tinto Espanha  R$ 50 R$ 97 94%

 

Fácil notar que a tarefa de encontrar vinhos por até R$ 55 sem qualquer reajuste nos últimos seis anos não tem sido fácil. O aumento médio registrado nos oito vinhos encontrados no mercado hoje acompanha melhor a cotação do dólar e fica em 105%. O desafio é perceber que tal média carrega desvios expressivos, e enquanto alguns produtos aumentaram menos de 80%, outros foram para mais de 150%.

Não sei se a lista acima representa meu gosto atual, e confesso que alguns achados recentes me agradam mais que parte dos nomes arrolados em 2012. Mas é fato que se o preço tem alguma relação com a qualidade, é de se esperar maior probabilidade de as coisas não funcionarem muito bem em minhas listagens mais atuais.

A despeito de tal fato, dia 27 de outubro divulgarei mais uma lista com 10 vinhos que custaram até R$ 55. Enquanto isso, vamos nos divertindo com algo um pouco mais caro. Da lista acima eu certamente beberia hoje o Casa Valduga Arte, que sempre aparece em minhas relações e é o único que continua cabendo no teto estabelecido. Também agradam os três portugueses e o espanhol. O argentino branco é muito bom, mas o aumento no período é um abuso desmedido. Tenho para mim que os tintos argentinos e o chileno estão longe de valerem esses preços atuais, mas se fosse para escolher um deles compraria o Trumpeter, que entrega um bom vinho. Por fim, o sul-africano é bem óbvio, mas agrada e é o tinto mais barato da lista. Saúde!

ALTANO Wrongo

Fonte: Mistral e Casario Verde